A Malcasada

Dizes-me que Juan Luis não te compreende,
que só pensa nos seus computadores
e que de noite não te liga.
Dizes-me que os teus filhos não te servem,
que só dão problemas, que se aborrecem
de tudo e que estás farta de aturá-los.
Dizes-me que os teus pais estão velhos,
que se tornaram tacanhos e egoístas
e já não és a sua rainha como antes.
Dizes-me que chegaste aos quarenta
e que não é fácil começar de novo,
que os únicos homens com quem lidas
são colegas de Juan na IBM
e não gostas de executivos.
E eu, que papel tenho eu nessa história?
Que queres que faça? Que mate alguém?
Que dê um golpe de estado libertário?
Quis-te como um louco. Não o nego.
Mas isso foi há muito, quando o mundo
era uma cintilante madrugada
que não quiseste compartilhar comigo.
A saudade é um passatempo vulgar.
Volta a ser a que foste. Procura um ginásio,
pinta-te mais, alisa as rugas
e veste roupa sexy, não sejas tola:
no mínimo Juan Luís volta a mimar-te,
e os teus filhos vão a um acampamento,
e os teus pais hão-de morrer.

Luis Alberto de Cuenca, Espanha (n. 1950), tradução de Nuno Dempster

La Malcasada

Me dices que Juan Luis no te comprende,
que sólo piensa en sus computadoras
y que no te hace caso por las noches.
Me dices que tus hijos no te sirven,
que sólo dan problemas, que se aburren
de todo y que estás harta de aguantarlos.
Me dices que tus padres están viejos,
que se han vuelto tacaños y egoístas
y ya no eres su reina como antes.
Me dices que has cumprido los cuarenta
y que no es fácil empezar de nuevo,
que los únicos hombres con que tratas
son colegas de Juan en IBM
y no te gustan los ejecutivos.
Y yo, qué es lo que pinto en esta historia?
Qué quieres que haga yo? Que mate a alguien?
Que dê un golpe de estado libertario?
Te quise como un loco. No lo niego.
Pero eso fue hace mucho, cuando el mundo
era una reluciente madrugada
que no quisiste compartir conmigo.
La nostalgia es un burdo pasatiempo.
Vuelve a ser la que fuiste. Ve a un gimnasio,
píntate más, alisa tus arrugas
y ponte ropa sexy, no seas tonta,
que a lo mejor Juan Luis vuelve a mimarte,
y tus hijos se van a un campamento,
y tus padres se mueren.

Luis Alberto de Cuenca

Anúncios

2 comentários a “A Malcasada

  1. Ai, ai, a vida é assim mesmo, cheia de voltas tortas… não conhecia o poeta, mas lembrei-me de uma canção mázinha do Aznavour, veja lá!
    “tu t’laisses aller”
    Boa noite

    Gostar

  2. Sim, sim 🙂 A vida às vezes parece uma gincana; outras, uma SCUT, fácil mas com portagens, outras ainda – quem dera -, uma avenida ao longo do mar, com pouca gente e no verão. A do poema parece que vai numa gincana, e ele, numa SCUT já sem notar aquelas pontes. Aznavour vai como ela, e ela, por sua vez, tem algo da do poema. Coisa complicada esta por que o mundo se move 🙂

    Gostar

Os comentários estão fechados.