Anche tu sei l’amore

Também tu és o amor.
És de sangue e de terra
como os outros. Caminhas
como quem não sai
da porta de casa.
Olhas como quem espera
e não vê. És terra
que sofre e cala.
Há sobressaltos e cansaços,
há palavras ― caminhas
na expectativa. O amor
é o teu sangue ― não mais.

Cesare Pavese, Itália (1908-1950), tradução de Nuno Dempster.

Anche tu sei l’amore.
Sei di sangue e di terra
come gli altri. Cammini
come chi non si stacca
dalla porta di casa.
Guardi come chi attende
e non vede. Sei terra
che dolora e che tace.
Hai sussulti e stanchezze,
hai parole – cammini
in attesa. L’amore
è il tuo sangue – non altro

Cesare Pavese, 1946.

Anúncios