Da Costa

Uma solitária ave cinzenta
que mergulha a pique, voando ao longe,
Sozinha nas sombras e grandezas e tumultos
Da noite e o mar
E o astros e tempestades.

Além cintila e paira sobre as trevas,
Além oscila e esvoaça na penumbra,
Além no vento e na chuva e no imenso,
Além no buraco de um grande mundo negro,
Onde névoas batalham, conduzidas no céu, tocadas do mar,
Amor de bruma e encanto de voo,
Glórias de acaso e perigos de morte
Nas asas incansáveis e latejantes.

Além nas profundezas do grande mundo escuro,
Para lá da extensa orla onde a espuma e a força
Das vagas a quebrarem-se se perderam e foram
Nas marés que se abismam e se erguem e desfazem.

Carl Sandburg, EUA (1878-1967), traduzido por Nuno Dempster.

From the Shore

A lone gray bird,
Dim-dipping, far-flying,
Alone in the shadows and grandeurs and tumults
Of night and the sea
And the stars and storms.

Out over the darkness it wavers and hovers,
Out into the gloom it swings and batters,
Out into the wind and the rain and the vast,
Out into the pit of a great black world,
Where fogs are at battle, sky-driven, sea-blown,
Love of mist and rapture of flight,
Glories of chance and hazards of death
On its eager and palpitant wings.

Out into the deep of the great dark world,
Beyond the long borders where foam and drift
Of the sundering waves are lost and gone
On the tides that plunge and rear and crumble.

Carl Sandburg.

Anúncios

2 comentários a “Da Costa

    • Não perca as voltas do caminho, Zef. Agradeço-lhe a visita em nome da Soledade Santos e no meu. Abraço, Nuno.

      Gostar

Os comentários estão fechados.