O dever

O dever
Do escritor, do poeta
Não é encerrar-se cobardemente num texto
Num livro, numa revista de onde nunca sairá,
Pelo contrário, é vir
Para o exterior
E sacudir,
Atacar
O espírito público.
Ou então para que serve?
E para que nasceu?

Antonin Artaud (1896-1948), França, tradução de Soledade Santos, publicada primeiro aqui.

LE DEVOIR

Le devoir
De l’écrivain, du poète
N’est pas d’aller s’enfermer lâchement dans un texte,
Un livre, une revue dont il ne sortira jamais
Mais au contraire de sortir
Dehors
Pour secouer,
Pour attaquer
L’esprit public
Sinon
A quoi sert-il?
Et pourquoi est-il né?

Antonin Artaud

Anúncios

2 comentários a “O dever

  1. Incrível texto! E tão verdade! Esta missão do poeta é realmente aquela que procuro, aquela que não se encerra nem nunca se encerrará na estante de uma livraria e no interior de um livro.

    Muitos beijos
    Jorge

    Gostar

Os comentários estão fechados.