Fúrias

Às vezes – irregular, imprevisível e recorrente – à menor provocação
vem-me uma raiva ancestral, telúrica, inextinguível,
uma raiva Hulk, marca Medeia,
Aquiles: arde Tróia,
arma-se a Grande – literal e metaforicamente – explosão,

FAÍSCAS:
digamos – às vezes – insignificâncias,

digamos: migalhas de pão, fracções de segundo exponencialmente
acumuladas:
atrasos, estamos sempre atrasados, e não há remédio,
pertencer, emaranhados de razões, detenças:
fúrias rolando a toda velocidade pelas minhas entranhas,
fúrias descobertas por meu mal,
piedade, serenidade, paciência, às vezes: respirar
concentrar-me, olhar para o jardim interior,

prender os doberman, como dizer:
acumulações.

Maricela Guerrero, México, tradução de Soledade Santos

FÚRIAS

En ocasiones — irregulares, imprevisibles y recurrentes — a la menor provocación
me viene un enojo ancestral, telúrico, inmarcesible,
un enojo Hulk, marca Medea,
Aquiles: arde Troya,
se arma la Gorda —literal y metáforico — explosión,

CHISPAS:
digamos — a veces — pequeñeces

digamos: migas de pan, fracciones de segundo exponencialmente
acumuladas:
retrasos, siempre se está tarde, y hay que estar,
pertenecer, enredos de motivos, tardanzas:
furias rodando a toda velocidad por mis entrañas,
furias halladas por mi mal,
piedad, serenidad, paciencia, a veces: respirar
centrarse, mirar el jardín interior,

amarrar los dóberman, cómo decirlo:
acumulaciones.

Maricela Guerrero, La Edad de Oro,Antología de poesía mexicana actual, México, 2012

Anúncios