Às vezes quando a luz incide

Mueller_Lisel_1981

Liesel Mueller, 1981

Às vezes, quando a luz incide em ângulos estranhos
e te devolve à infância,

passando por uma mansão em ruínas
toda escondida atrás de velhos salgueiros

ou por um convento vazio guardado por cicutas
e abetos gigantescos perfilados de um lado ao outro,

outra vez descobres que atrás dessas paredes,
sob a indómita cabeleira dos salgueiros,

algo de secreto acontece,
tão maravilhoso e perigoso,

que se rastejasses lá para dentro e o visses,
morrerias, ou serias feliz para sempre.

Lisel Mueller (n. 1924, Alemanha), tradução de Soledade Santos

Sometimes, when the light

Sometimes, when the light strikes at odd angles
and pulls you back into childhood

And you are passing a crumbling mansion
completely hidden behind old willows

Or an empty convent guarded by hemlocks
and giant firs standing hip to hip,

You know again that behind that wall,
under the uncut hair of the willows

Something secret is going on,
so marvellous and dangerous

That if you crawled through and saw,
you would die, or be happy forever.

Lisel Mueller

Anúncios

3 comentários a “Às vezes quando a luz incide

  1. Um excelente poema de Lisel Mueller. Obrigada pela partilha.
    Um beijo para a Soledade Santos.
    Beijo.

    Gostar

    • Graça, há quanto tempo! Obrigada pela gentileza. Um beijo amigo,
      esperando que esteja bem.
      Soledade

      Gostar

Os comentários estão fechados.