Sinais

dinicio-morais-1943

Eras a luz toda reunida
num vaso de obsidiana.
Corpo a corpo: espelho perfeito.

Pousei a mão
sobre a tua nudez
e fez-se noite.

Deus, por instantes,
ficou cego
e fomos um, dois, três,
ai, fomos tantos.

De manhã,
achámo-nos órfãos do mundo.

E todos os dias,
como a vida,
começamos do zero.

Dionicio Morales, Mexico (n. 1943), tradução de Soledade Santos

 

Señales

Eras toda la luz reunida
en un vaso de obsidiana.
Cuerpo a cuerpo: espejo perfecto.

Puse mi mano
sobre tu desnudez
y se hizo noche.

Dios, momentáneamente,
quedó ciego
y fuimos uno, dos, tres,
ay, tantos fuimos.

Al amanecer
quedamos huérfanos del mundo.

Y todos los días,
como la vida,
empezamos a partir de cero.

Dionicio Morales, Material de lectura

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s