Tributo ao kitsch

Amiga que partes:
talvez não torne a ver-te.
Ramón López Velarde

Doces formas de te alimentar, esquecimento:
recolher pedrinhas de um rio sagrado
e guardar violetas nos livros
para que esmaeçam ilegíveis.

Beijá-la muitas vezes e em segredo,
no último dia,
antes da terrível separação,
no limiar
do adeus tão romântico
e sabendo
(embora ninguém se atreva a confessá-lo)
que as andorinhas não regressarão.

(Não me perguntes como passa o tempo)

José Emilio Pacheco (México, 1939-2014), tradução de Soledade Santos

 

Continuar a ler

Anúncios