O dever

O dever
Do escritor, do poeta
Não é encerrar-se cobardemente num texto
Num livro, numa revista de onde nunca sairá,
Pelo contrário, é vir
Para o exterior
E sacudir,
Atacar
O espírito público.
Ou então para que serve?
E para que nasceu?

Antonin Artaud (1896-1948), França, tradução de Soledade Santos, publicada primeiro aqui.

Continuar a ler

Anúncios